Amante Libertada - J.R. Ward




Sinopse:

Payne, irmã gêmea do guerreiro Vishous, é finalmente libertada de sua mãe (a Virgem Escriba) e se revelará uma lutadora por natureza, descobrindo sua verdadeira essência. Ao sofrer uma lesão que a paralisa, o cirurgião Manny Manello é chamado para curá-la. Embora nunca tenha acreditado em vampiros, ele será logo sugado para o secreto e perigoso mundo da Irmandade dos vampiros-assassinos e seduzido por esta misteriosa mulher que precisa salvar. À medida que Payne e Manny descobrem que têm mais do que uma ligação erótica, eles precisam enfrentar o choque entre os mundos e uma dívida de séculos atrás que será cobrada de Payne e colocará tanto seu amor como sua vida em perigo. Uma paixão arrebatadora que promete ser quente... Essa ligação erótica entre os dois universos poderá se concretizar?


Minha Opinião:

Outra resenha da IAN!!!!!!!!! Vamo que vamo!!!

Amante Libertada é o 9º livro da série Irmandade da Adaga Negra (mais conhecida como IAN), escrita pela minha escritora preferida no mundo (e Diva), J.R. Ward.

Nesse livro da série, é contada a história de amor entre Payne, a irmã gêmea de Vishous (que teve sua própria história contada em Amante Liberto, o quinto livro) com o Doutor Manuel "Manny" Manello, um cirurgião especialista em ortopedia e amigo e ex-chefe da Doutora Jane (Shellan = esposa do Vishous), um humano com uma pavio curto mas muito competente e que se apaixona à primeira vista pela Payne.

Além da história de amor, (considerado impossível, por uma porção de fatores), Payne tem que enfrentar a difícil perspectiva de uma possível paralisia que para ela, sendo uma guerreira, uma lutadora, é algo extremamente difícil de suportar e de ter de lidar com a ideia.
Como não existe Payne sem Vishous, o livro também mostra muito o V. e seus próprios problemas e traumas que aparentemente tinham sido resolvidos ou pelo menos controlados, em Amante Liberto, mas que na verdade, como descobrimos no livro da Payne, só estavam adormecidos, por assim dizer. O que torna o V. uma bomba prestes a explodir e isso acaba refletindo na sua relação com todos que ele ama, principalmente Jane e Butch. Eu diria até que, em minha opinião, e concordando com algumas opiniões coerentes que li por aí, esse livro seria quase uma continuação do livro do Vishous, pois a meu ver, ele acaba, no final das contas, tendo mais destaque do que a irmã e também combina com uma declaração que a autora deu certa vez na época do lançamento desse livro nos EUA, de que os dois livros se completam, são livros gêmeos, como os seus protagonistas. A meu ver, Amante Libertada fecha um ciclo que foi iniciado em Amante Liberto, um ciclo referente ao passado e origem de seus protagonistas. A eles aprenderem a aceitar quem são e deixar o passado para trás.

Devo confessar que esse é o livro que menos gosto da série (posto antes ocupado pelo Amante Consagrado, o livro do Phury, o 6º da série) em matéria de trama, pois acho ele muito "parado" e acho que o casal principal acabou virando coadjuvante (o que, no meu ponto de vista, também aconteceu no livro do Phury); Vishous e Jane tiveram mais destaque, o que para mim, logicamente, deveria ter sido o contrário. Mas é claro que ele tem coisas boas; a mensagem de superação que o livro passa através da Payne (e por que não dizer, do Vishous também) é algo lindo e emocionante, o amor verdadeiro de Payne e Manny, sem reservas, é muito bonito de ler, a trama falar muito sobre liberdade (dã) (tanto fisíca quanto emocional/sentimental), a verdadeira libertação para viver conforme se acredita foi algo que me emocionou bastante também e ter muitas cenas do quadrado amoroso Qhuinn/Layla/Saxton/Blay foi algo que me deixou muito felizinha pois adoro esse núcleo (e sofro pacas com eles também). hahahaha ^^

Ah, e antes que eu me esqueça, nesse livro tem a primeira aparição do Bando de Bastardos liderado pelo Xcor, o novo personagem polêmico que pode ser considerado um vilão (por enquanto), ele vai aprontar muito ainda no futuro e veio para dar uma mexida na parte de vilões da série que andava meio sem ação depois do que aconteceu com o Lash em Amante Meu. E parece que o BdD (Bando de Bastardos) veio para ficar, isso promete!

Espero poder resenhar logo Amante Renascido, o livro do Tohr, o décimo da série, aqui.

Futuramente mais resenhas dos livros da IAN aqui no blog!

Você pode ler as minhas outras resenhas dos livros da J.R. Ward clicando aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela