Mistérios Noturnos - J.R. Ward, Sherrilyn Kenyon, Susan Squires e Dianna Love





Sinopse:

"Mistérios Noturnos" reúne contos das quatro maiores autoras do romance erótico contemporâneo. Quem é fã da Irmandade da Adaga Negra não pode perder essas histórias de paixões arrebatadoras e criaturas fantásticas. Em um só livro, Sherrilyn Kenyon, J. R. Ward, Susan Squires e Dianna Love revelam aventuras eletrizantes. Vampiros apaixonados que lutam pela sobrevivência da espécie, bruxas sensuais e perigosas e um clã de lobisomens para lá de especial surpreendem a cada virada de página. Uma coletânea irresistível!

“Ele segurou os punhos de Claire com uma mão, afastou os cabelos dela para trás e colocou novamente a boca sobre sua garganta. Com a língua, acariciou-lhe a pele. E voltou a acariciá-la outra vez. E outra vez.” (J.R.Ward)


Minha Opinião:

Coletânea de Divas!!!! *_*

Mistérios Noturnos (com o título original em inglês de Dead After Dark (Morto Depois do Anoitecer, numa tradução livre)) é uma antologia que reune quatro contos de quatro autoras consagradas de romances eróticos sobrenaturais, J. R. Ward, Sherrilyn Kenyon, Susan Squires e Dianna Love.

Como são quatro histórias e para não ter que fazer quatro posts ou para que as resenhas não fiquem enoooormes e cansativas para vocês e para mim, farei quatro mini-resenhas sobre cada conto.
Vamos lá:


História Familiar - J.R. Ward

História Familiar (ou The Story of Son - "A História de Filho", que é o título que eu prefiro), é o primeiro conto do livro (na edição nacional) e nele J.R. Ward conta a história de Michael ou "Filho" um vampiro que viveu preso durante sua vida toda trancado num quarto no subsolo da casa da mãe e que é vê sua vida mudar completamente quando lhe é trazida para se alimentar do sangue de uma bela mulher, a advogada da família, a corajosa e independente, Claire Stroughton.
A partir desse encontro, primeiramente cercado de medo, e que com o passar dos dias vai se transformando em uma paixão avassaladora, seu amor será testado ao enfrentar inimigos perigosos e suas vidas mudarão para sempre.
Este conto é muito hot, e, em minha opinião, o melhor do livro, além de ser o mais longo em matéria de páginas, (sim, eu contei rsrs), e acho que só por ele vale a leitura do livro inteiro, a trama é muito boa, só como a J.R. Ward sabe escrever, mas vocês sabem que eu sou suspeita para falar sobre qualquer livro/conto/guia/etc que ela escreva. kkkkkk

Reza a lenda entre os fãs da J.R. Ward que esse conto foi uma espécie de rascunho para o que viria a ser os vampiros da série Irmandade da Adaga Negra e até pouco tempo atrás eu também pensava que era, mas conversando com uma amiga minha, a Lidy, ela - que sempre foi minha fonte fidedigna sobre IAN - me explicou que na verdade não foi assim; a J.R. foi convidada junto com as outras autoras, especialmente para escrever esse conto que foi publicado em 2008, nos EUA. E realmente os contos são de 2008, eu olhei na página da ficha técnica para confirmar, então, como o primeiro livro da Irmandade, Amante Sombrio (Dark Lover) é de 2005 (nos EUA), as datas não batem e por isso essa teoria "cai por terra", o que é uma pena, eu acho, pois eu gostava de pensar que era assim até por causa das similaridades entre a história do Michael e também por causa de elementos que aparecem na história e são sempre presentes em IAN, como a maior parte da história se passar em Caldwell, a essência de vinculação que o Michael libera, ter um Doggen na casa da mãe dele (mesmo sendo "do mau" ele ainda é um Doggen), entre outras semelhanças, mas quem sabe um dia o Michael e a família dele não aparecem na IAN, não é mesmo? A J.R. quando perguntada sobre isso, sempre diz que pode ser que um dia isso aconteça, e como ela gosta de "reaproveitar" personagens antigos em outros livros ou até outras séries - como o próprio Mick Rhodes, amigo e colega de trabalho da Claire, do conto História Familiar, que faz uma ponta em Cobiça, primeiro livro da série Fallen Angels, como advogado do Vin Di Pietro - então, tudo é possível...


A Sombra da Lua - Sherrilyn Kenyon

A Sombra da Lua (Shadow of the Moon) é o segundo conto da antologia e é um conto intermediário da série Dark Hunters escrita pela Sherrilyn Kenyon, na ordem da série esse é o Nº 15.6.

O conto tem como protagonistas Fury (quem se lembrou da IAN agora levanta a mão o/ kkkkk), um Licantropo (ser sobrenatural que assume outra forma, nesse caso a de um lobo) e Angelia, uma Arcadiana (raça de humanos que usam magia e podem assumir outras formas, como a de animais e odeiam os Licantropos e outros seres sobrenaturais que sejam animais e assumam a forma humana) que é Caçadora de Mutantes.
Fury e Angelia se conhecem desde crianças mas depois que o Fury descobre que é de uma raça inimiga da de Angelia e ela trai sua confiança tentando matá-lo, o ódio surgiu entre os dois e após muitos séculos sem se ver, as coisas entre os dois não poderiam ser piores, porém ódio e amor vivem de mãos dadas e velhas chamas nunca morrem, e enquanto lutam contra essa atração, o Fury terá que aprender o significado do perdão e a Angelia terá que aprender a aceitar que suas maiores crenças estavam completamente erradas.

Não tenho muita coisa para falar sobre esse conto, a não ser que fiquei muito confusa lendo-o rsrs. Como da série Dark Hunters eu só li os primeiros livros e não conhecia os personagens de outros livros, fiquei bastante perdida nas referências a alguns acontecimentos dos livros passados e nesse universo enorme e um tanto quanto louco (no bom sentido) criado pela Sherrilyn, me senti caindo de paraquedas no meio de uma trama com elementos que eu não conhecia e daí a minha confusão, mas consegui passar por cima disso e cheguei até a me divertir e gostar da leitura. A SK é muito talentosa e é fácil ficar fascinado por esse universo, pela criatividade dela e pelo tom dramático mas ao mesmo tempo divertido (além de hot) dos personagens e do texto dela.
E foi justamente o que aconteceu comigo. É um bom conto mas creio que fica melhor ainda se for lido na ordem certa da série depois dos livros anteriores.


Além da Noite - Susan Squires

Além da Noite (Beyond the Night) é o terceiro conto dessa antologia e é o único histórico, "de época" dos quatro.

Esse conto, como o da Sherrilyn, também pertence a uma série, a série Companion criada pela Susan Squires - é o nº 6.5 da série -, aqui no Brasil foram lançados quatro livros na coleção Bianca Místico (o 1º, o 2º, o 3º e o 4º) e ao todo essa série é composta por sete livros e quatro contos extras (incluindo o conto que inicia a série, o nº 00), ou dependendo do ponto de vista, se você conta todos como livros, até os extras, então são onze livros no geral.

Essa história foi a que eu menos gostei; apesar de ter muitas cenas hots (talvez esse seja o conto que tenha mais trechos eróticos e sensuais), a trama em si é muito fraca e "parada", sem grandes acontecimentos, só no finalzinho mesmo é que tem uma curta sequência de fatos interessantes, mas fiquei muito frustrada pelo questão da vingança do Drew, que era o grande catalisador da trama do conto, não ter sido melhor explorada, nem ter tido um final melhor - apesar do romance entre o Drew a Freya ter evoluído para algo mais profundo, além de hot e ser interessante a explicação diferente criada pela autora para o vampirismo da Freya -, foi bem decepcionante a resolução que autora escolheu para a vingança, em minha opinião, deixou muito a desejar.

Porém, diferentemente do conto da SK, mesmo sendo parte de uma série, essa história - apesar de algumas pequenas referências, que creio eu, sejam feitas a livros anteriores, que são bem sutis - dá para ler essa história numa boa sem se sentir perdida.


Beijo de Adeus à Meia-Noite - Dianna Love

E por último na antologia temos o conto Beijo de Adeus à Meia-Noite (Midnight Kiss Goodbye), que faz parte da série Belador, escrita por Dianna Love em parceria com a Sherrilyn Kenyon. Essa série possui quatro livros e dois contos extras (incluindo Beijo de Adeus à Meia-Noite), mas se você contar tudo como livro, sem distinção, são seis no total rs.

Achei esse o segundo melhor conto (depois do da J.R., claro rs); ele é cheio de ação e tem clima sombrio bem interessante que me fez ficar vidrada na leitura até o final e "devorar" as páginas.
Apesar de ser de série, aconteceu o mesmo que aconteceu com o conto da Susan Squires: consegui ler tranquilamente sem ficar confusa e acompanhar o desenvolvimento da história sem me perder nas referências (que ou são poucas, ou são sutis/leves demais e eu (quase) não percebi rsrs).

Mesmo quase não tendo partes hots (se eu não me engano é só uma cena mais quente), toda a parte sobrenatural - que é bem criativa -, o tom divertido de vários trechos e as passagens de ação e lutas compensam a leitura.



Numa avaliação geral, eu acho que a leitura da antologia Mistérios Noturnos vale a pena, principalmente para quem gosta de histórias curtas e romances sobrenaturais/paranormais adultos mais quentes e é fã (de pelo menos uma) dessas autoras maravilhosas.

3 comentários:

  1. Parei a leitura desse livro, para ler outro, acho que estou pecando nisso não é?
    Preciso retomar minha leitura urgentemente, adorei a resenha.
    Beijos
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. "O conto tem como protagonistas Fury (quem se lembrou da IAN agora levanta a mão o/ kkkkk), um Licantropo (ser sobrenatural que assume outra forma, nesse caso a de um lobo) e Angelia, uma Arcadiana (raça de humanos que usam magia e podem assumir outras formas, como a de animais e odeiam os Licantropos e outros seres sobrenaturais que sejam animais e assumam a forma humana) que é Caçadora de Mutantes."
    Ai meu Deu, não acredito que Katagaria virou Licantropo. O_O

    Rafa, essa série é bem confusa mesmo - eu levei um tempão pra lembrar que Arcadianos eram were-hunters com corações humanos, aí fazia uma lambança. rs Mas eu odeio, ODEIO esse livro, acho que o Fury merecia coisa melhor que a Angelia. Imagine, largar o menino pra ser torturado porque ela se lembrava de coisas que nem foi ele que fez.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lidy!

      Pois é, amiga! Dá pra perceber pela minha resenha que eu também fiquei confusa com tantas definições de criaturas mágicas diferentes!

      Essa do Licantropo, foi a mais confusa de todas, uma hora falava Licantropo na outra Katagaria, não sei se foi culpa da tradução ou pq eu peguei um conto do meio a série, mas fui notas de rodapé, mas mesmo assim fiquei boiando a maior parte do tempo rsrs. =S

      Achei a história legalzinha mas concordo com você, a Angelia foi um pé no saco a maior parte do tempo e como o conto era curto, ela se arrependeu muito rápido pro meu gosto, mas fazer o quê se eram poucas páginas. kkkk =P

      Obrigadão pela visita e pelo comentário, viu?
      Adoro sempre suas impressões. =)
      Saudades.

      Bjs

      Excluir

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela