A Sedutora - Penny Jordan - (Maratona de Banca)




Sinopse:

Stella aprendeu a jogar o jogo da sedução! Stella Flower: Depois de testemunhar o fracasso da união dos pais, tem impressões muito cínicas a respeito de casamento. Sente que nenhum homem gosta de compromissos, e sim de curtir a vida sem responsabilidades. Kyle Henson: É totalmente avesso à ideia de sexo sem envolvimento emocional. Portanto, repreende-se por aceitar o convite para jantar da mulher que obviamente o considera um desafio, um objeto de sua sedução. Stella sabe que Kyle sente atração por ela. Então por que ele evita aproximar-se? Talvez porque ele seja agora seu chefe temporário..ou talvez esteja se contendo pela única coisa pra a qual ela não está preparada: o amor


Minha Opinião:

Livro da Maratona de Banca do mês de Novembro com o tema: Livro da autora Penny Jordan.

Nossa, que surpresa ótima foi esse livrinho! (E a capa tem TUDO a ver, ilustrando um trecho do livro, diga-se de passagem...) ^^

Os livros anteriores que li da Penny sempre me faziam ter uma revolta tremenda com a mocinha em questão por ser tão tapada e aguentar todo o tratamento cruel e rude do "mocinho" que a fazia comer o pão que o tinhoso amassou e esfregou no chão e, no final, ainda esquecer de tudo e ficar com ele depois de um pseudo-arrependimento que não convence em nada, mas esse não foi o caso nesse livro, pelo contrário; quem aqui reluta e renega o sentimento é a Stella, a mocinha, e o Kyle, o mocinho (esse é mocinho MESMO), é quem tem que correr atrás e aguentar todos os sarcasmos e maus tratos da Stella e suas negativas em aceitar o amor dele e o que ela própria sente.

Simplesmente adorei o livro, devorei rapidíssimo.
Me encantei pelo Kyle, que se mostrou um homem íntegro, decente e muito sincero do começo ao fim e ao contrário do que poderia acontecer pelo comportamento chato da Stella em praticamente todo o livro, eu não a detestei nem tive nenhum sentimento negativo em relação a ela porque eu consegui compreender qual a razão dela agir desse jeito, usando a agressão verbal e a ironia como uma espécie de armadura/couraça para se proteger de sentimentos que ela acredita que só causarão rejeição e tristeza no futuro. É algo que a Penny frisa no decorrer do livro e creio que esse seja o grande tema/lição da história através dos dois protagonistas (porque o Kyle também teve uma infância emocionalmente desestruturada): como uma infância emocionalmente e/ou fisicamente instável pode ter grande poder sobre como uma pessoa encarará a vida e seus diversos laços emocionais depois de adulta.

A mensagem final (e geral) é muito bonita e até cheguei a ficar um pouco emocionada durante a leitura e no final. Ai, ai, eu gostei muito. Recomendo.
Espero que a próxima leitura da Maratona, que é com clima natalino (AMO!) seja tão agradável assim.

2 comentários:

  1. Oi Rafa!
    Adorei a resenha, eu gosto bastante da Penny Jordan desde Noites do Oriente. =)
    Esse rapaz é bem fofo, já me encantou. E consigo entender a maneira da mocinha tb.
    Vou procurar para ler!!!

    ResponderExcluir
  2. Rafa!

    O Renan já tinha me recomendado esse livro, agora que você também aprovou logo também vou ler.

    Bjos

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela