A dama de companhia - Deborah Simmons - (Maratona de Banca)




Sinopse:

Inglaterra, 1815

Salvo por um anjo apaixonado!

Seriamente ferido no campo de batalha, Kit Armstrong, conde de Hawthorne, voltou para casa para receber cuidados médicos.
Mas como fazê-lo voltar à vida, se tudo que ele desejava era ter perecido no campo de batalha como tantos outros?

Chloe era apenas uma dama de companhia. Mas sua alegria quase juvenil, seu sorriso radiante mesmo diante das maiores adversidades e seu jeito amoroso fez com que os olhos de Kit Armstrong readquirissem o brilho então inexistente. Seria o amor o responsável por trazê-lo de volta à vida?


Minha Opinião:

Décimo segundo e último livro da Maratona de Banca 2013, e livro do mês de Março com o tema: Livro da autora Deborah Simmons.

A Dama de Companhia, fez parte originalmente, quando de seu lançamento nos EUA, de uma coletânea junto outras duas histórias de outras duas autoras diferentes - histórias essas que não tem relação entre si apenas o fato dos três mocinhos terem participado do mesmo regimento militar: Merline Lovelace e Julia Justiss. Todas foram publicadas aqui no Brasil só que duas foram publicadas juntas num livro só chamado "No Amor e na Guerra" e essa história foi publicada separada por isso, e também acredito que pelos cortes que eram costumeiros da Nova Cultural, o livro é bem pequeno, tem só 123 páginas, e por isso não dá pra comentar muito sobre ele sem que se conte a história inteira e estrague a surpresa da leitura.

A condessa de Hawthorne, avó de Kit, como última medida para tentar fazer com que o neto assuma o novo título de conde que herdou do irmão e sair da depressão em que se encontrava após voltar da guerra com um problema na perna e que piorou ao saber da morte do irmão, contrata uma parente distante que estava na pobreza após a morte do pai para ser dama de companhia de Kit. Chloe, que depois da morte do pai se vê sem ter como se sustentar, aceita o emprego com a condessa e se vê animada com o novo propósito de vida; ajudar Kit a ser curar e seguir em frente aceitando as dádivas que a vida lhe deu.
Claro, que Kit não aceitará essa situação de primeira (nem de segunda, nem de terceira...), mas eventualmente com a persistência da Chloe o relacionamento deles irá mudando e se transformará em algo bonito que pode dar um lindo futuro juntos aos dois se eles abrirem seus corações para o amor e o perdão.

Uma graça esse livrinho!
A trama não tem grandes eventos, conflitos ou emoções (também com tão poucas páginas, não se admira), porém é muito romântica, doce, fofinha, e uma bonita história sobre perdão - autoperdão principalmente - e sobre recuperar sua autoestima e seu próprio valor e seguir em frente mesmo quando você acha que sua vida não tem sentido. Achei muito bonitinho e passa uma mensagem superbacana. Foi um bom modo de encerrar a Maratona.

Não irei participar da edição da MdB de 2014 por não poder me dedicar devidamente esse ano, mas valeu demais participar de todas até agora, principalmente dessa, foi um saldo geral bem positivo, com a maior parte de leituras boas e que me despertaram algum tipo de emoção, mesmo a mais fraca. Gostei muito de participar do projeto até aqui, tomara que eu consiga também voltar a participar no futuro. Quem se interessou e ficou com vontade de participar é só procurar saber os detalhes no blog da Maratona (aqui) e, se tiver esse ano, se inscrever. É uma ótima experiência para quem quer diversificar as leituras, fica a sugestão. ;)

2 comentários:

  1. Nossa parece ser um livro bem fofo, eu vou procurar ele pra ler adoro esse tipo de historia.
    Ligia
    Meu mundo particular

    ResponderExcluir
  2. Nossa, faz tempo que li um romance de banca que agora me deu vontade!
    Beliscões da Máh ♥
    Blog
    Instagram

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela