A estranha - Hilda Pressley - (Maratona de Banca)




Sinopse:

Ser considerada uma estranha era um sofrimento para Sara Martindale. Recém-formada em medicina, tinha ido para aquela pequena cidade do sul da Inglaterra com o coração cheio de esperança, vontade de se dedicar ao trabalho e, mais do que tudo, desejo de esquecer um passado! Então, por que todos a olhavam como se ela fosse uma intrusa? Seria por influência do jovem e poderoso Dr. Jim Crombie, que a atacava diante de todos, com críticas ferinas e mordazes? Não importava o motivo de tanta hostilidade: Sara decidiu lutar e conquistar a cidade... e o amor desse homem orgulhoso e fascinante.


Minha Opinião:

O tema desse mês é: livro Florzinha

Diga-se de passagem, um dos meus estilos literários favoritos. ^^
Quando escolhi esse livro para a Maratona, sinceramente, pela sinopse me empolguei para ler, porque achei que seria legal, ver a mocinha tentando se adaptar a nova cidade e a nova vida, mas sendo duramente difícil por causa da hostilidade. Queria ver a mocinha sofrer e lutar contra as tais críticas e olhares tortos, (sou meio carrasca com os protagonistas principalmente as mocinhas, às vezes, porque acho que o final fica com gosto melhor quando há muitos obstáculos a saltar, perdoem o trocadilho rsrs). Duramente conquistado, melhor saboreado no final.

Mas acho que para variar criei uma expectativa maior do que a realidade. (isso é que dá ler muito Anne Mather, que escreve Florzinhas como ninguém, cheios de conflitos e emoções. )
Mas voltando...
Achei "A estranha" uma leitura boa, mas que fica devendo na parte da tal hostilidade (não foi tão grande quanto parece na sinopse), na verdade o que é enfatizado na história é a rivalidade entre a Sara e o Jim, rivalidade esta que esconde um amor.
O velho caso clássico de: acredito-que-odeio-mas-no-fim-das-contas-descubro-que-era-amor.

É bem legal ver as picuinhas e discussões entre eles rsrs =p.
Outra coisa que gostei bastante é o fato de haver muitas descrições sobre procedimentos médicos e sintomas. Muito interessante saber como a medicina funcionava naquela época (este livro é uma verdadeira raridade, foi lançado aqui em 1966! *-*) e aprender algumas coisas.
Conhecimento nunca é demais e podemos aprender algo novo de muitas e variadas formas, em muitos lugares e é sempre super válido.

O romance em si fica mais para o final do livro, mas é resolvido de uma maneira muito bonitinha.
Num saldo geral fiquei com a sensação um pouco frustrante de que faltou algo mais, mas gostei do livro.
Por hoje é só.
Até logo. ^^
Bjs

4 comentários:

  1. Minha leitura da maratona está atrazada. kkk
    Nunca li um livro florzinha, escolhi tanto...que espero não me decepcionar. kkk
    Sua resenha me animou.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha, apesar de eu não ler muito livos de banca ^^

    beeijos

    ResponderExcluir
  3. Ai!!! Meu gênero preferido também é florzinha, romance para mim tem que ser doce e bem romanticooooo senão não vale o estrago, amei a resenha fiquei afim de ler também!!!

    ResponderExcluir
  4. A capa é feiinha, mas sabe que está retratando bem a tristeza dela? rsrs adorei.

    Florzinha é um dos meus preferidos tb. Tenho vários.

    bjsss

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela