Boletim Harlequin #2 em: a crônica da capa perfeita

Hoje o post do Boletim Harlequin vai ser diferente, pois resolvi escrever em forma de crônica, let's go:

É um fato mundialmente conhecido pelos apaixonados por livros, que o que realmente importa num livro não é a capa mais sim a história que ele possui dentro de suas páginas, que como diria o velho ditado: "Nunca julgue um livro pela capa" , pois com certeza você estará em várias situações cometendo um erro injusto, pois existem histórias ótimas com capas horrorosas e histórias ruins com capas lindas.
Porém ninguém pode negar o fato que a capa de um livro tem sua importância sim, e muita. Não é uma questão de futilidade achar isso, porque como diria aquele outro sábio ditado popular: "A primeira impressão é a que fica", o que primeiro nos chama a atenção em um livro é a capa, ela desperta no leitor a curiosidade (ou não) de querer conhecer o conteúdo do livro, é o primeiro passo, primeiro "se come com os olhos" a capa para depois se devorar a trama.


Às vezes uma capa de livro nos enfeitiça, nos faz ficar cobiçando e a "namorando" toda vez que passamos pela frente da livraria ou da banca e dizendo mentalmente: me espere que assim que possível vou te comprar.
Ah e que sensação de felicidade quando conseguimos comprá-la e que sensação de derrota quando por algum motivo não conseguimos!


Esse foi um ano bem proveitoso em matéria de capas, as editoras arrasaram em especial a Harlequin Books que me deixou babando por várias. Eis que cheguei onde queria.
Posso afirmar que foi bastante difícil conseguir escolher a minha preferida deste ano, uma batalha árdua entre algumas especialmente selecionadas. Mas conversei com meu coraçãozinho de leitora e ele me deu a resposta.


Minha capa preferida lançada pela Harlequin Books no ano de 2011 foi:



               Minha alma para levar, primeiro livro da série Gritos da alma, de Rachel Vincent.


Adoro livros com capas femininas em que dão a ideia, ou refletem um pouco da história, que a protagonista é poderosa e senhora de si, que passem força mas ao mesmo tempo feminilidade e se tiver totalmente a ver com a descrição do perfil da personagem que a autora faz, melhor ainda.
Claro que também adoro capas com casais e homens lindos mas nesse ano essa foi a da HB que mais me conquistou, além da foto, a arte está linda. Amei de paixão.

Um comentário:

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela