Primeiro poema

Olá! Tenho sentido falta neste blog, de algo que gosto muito,uma forma de expressão de arte tão rica culturalmente,linda e infelizmente pouco valorizada nos dias de hoje,que são os poemas,versos e poesias.
Então,hoje resolvi postar um poema, extraído de um livro que faz parte da minha pequenina estante,que é o:Lira dos Vinte Anos de Álvares de Azevedo.
Este poema se chama Meu Desejo e começa a terceira e última parte deste trabalho final do autor, que na verdade não chegou nem a terminar de escrevê-lo, pois morreu antes disso aos 21 anos de tuberculose e portanto este projeto só foi lançado após sua morte.
Este é o meu preferido de todo o livro!
O acho muito lindinho!
Já enrolei muito,vamos ao poema!


Meu Desejo

Meu desejo? era ser a luva branca
Que essa tua gentil mãozinha aperta,
A camélia que murcha no teu seio,
O anjo que por te ver do céu
deserta...

Meu desejo? era ser o sapatinho
Que teu mimoso pé no baile
encerra...
A esperança que sonhas no futuro,
As saudades que tens aqui na terra...

Meu desejo? era ser o cortinado
Que não conta os mistérios de teu
leito,
Era de teu colar de negra seda
Ser a cruz com que dormes sobre o
peito.

Meu desejo? era ser o teu espelho
Que mais bela te vê quando deslaças
Do baile as roupas de escumilha e
flores
E mira-te amoroso as nuas graças!

Meu desejo? era ser desse teu leito
De cambraia o lençol, o travesseiro
Com que velas o seio, onde repousas,
Solto o cabelo, o rosto feiticeiro...

Meu desejo? era ser a voz da terra
Que da estrela do céu ouvisse amor!
Ser o amante que sonhas, que desejas
Nas cismas encantadas de langor!


Espero que tenham apreciado,tanto quanto eu!
Bjs!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, deixe seu comentário que irei adorar ler!

Não são permitidos spams ou comentários ofensivos de qualquer tipo, os últimos serão excluídos sem hesitação. Respeito todo mundo gosta, né? :)

No mais ficarei feliz em (assim que possível) responder qualquer dúvida aqui nos comentários.

Bjs,
Rafaela