A Travessia de Caleb - Geraldine Brooks




Sinopse:

Em 1665, um jovem da ilha de Martha's Vineyard se torna o primeiro índio norte-americano formado na Universidade de Harvard. Dos poucos fatos que perduram de sua extraordinária vida, Geraldine Brooks cria uma brilhante narrativa de paixão e fé, magia e aventura. Bethia Mayfield cresceu na pequena comunidade de Great Harbor entre um grupo de ingleses puritanos. Munida de um espírito inquieto e uma mente curiosa, Bethia escapa dos limites de sua rígida sociedade para explorar as praias da ilha e observar seus habitantes nativos. Aos doze anos, ela conhece Caleb, o jovem filho do líder de uma tribo, e os dois desenvolvem um laço secreto. O pai de Bethia é pastor de Great Harbor e acredita ser o escolhido para converter os índios wampanoags ao calvinismo. Ele desperta a ira dos curandeiros e deve testar sua fé contra a magia deles em uma perigosa batalha que pode custar sua vida e até sua alma. Caleb se torna um prêmio nessa disputa entre antigos e novos costumes, no fim assegurando um lugar em Harvard ao lado dos filhos da elite colonizadora. Bethia vai para Cambridge, ficando sob a autoridade de seu arrogante irmão mais velho. Enquanto batalha por sua voz na sociedade que exige seu silêncio, ela se envolve na luta de Caleb para circular nas fronteiras.


Minha Opinião:

A Travessia de Caleb escrito por Geraldine Brooks é um livro que fala sobre discriminação, sede de conhecimento, educação, religião, história e repressão.

A história é narrada por Bethia Mayfield, filha de um pastor que morava na pequena ilha de Noepe (que hoje em dia é Martha’s Vineyard, em Massachusetts nos Estados Unidos), ilha esta que era habitada por uma pequena comunidade de pessoas que resolveram seguir a família de Bethia quando o avó e o pai dela resolveram colonizar o local e também pelos índios que lá já viviam. Só que cada um desses grupos viviam separados cada um em uma parte da ilha em territórios pré-acordados até o dia em que Bethia, quando criança, em suas andanças exploradoras da ilha, conheceu Caleb Cheeshahteaumuck um garoto índio que acaba por se tornar um grande amigo e a quem não só Bethia ensinará muitas coisas mas com quem acabará aprendendo também muito sobre sobre a natureza, a força da determinação e lhe ensinará uma grande lição sobre a vida.

Eu serei honesta mais uma vez: apesar de toda a característica histórica fascinante que livro possui, e falar sobre assuntos muito sérios e importantes como o preconceito contra índios, mulheres e pessoas que não tinham as mesmas convicções ou religião dos colonos puritanos da época e também sobre a parte interessantíssima que dá uma certa dimensão de como eram os estudos e a educação de uma fora geral naquele tempo e local (me lembrei muito da época em que eu fazia faculdade de Pedagogia, e lá estudávamos muito sobre as formas de ensino durante a história, aliás até recomendo esse livro para quem está fazendo o curso, seria interessante ler), o resumo do livro me parecia muito mais instigante do que ele na realidade foi.

A verdade é que essas duas partes que eu citei foram as únicas que me fizeram continuar lendo, isso e o fato de eu não gostar de abandonar livros, sou daquelas que costuma persistir até o fim às vezes só por esperança de que vá melhorar ou por teimosia porque já aconteceu outras vezes do livro só melhorar da metade em diante ou até perto do final, e também como gosto de história então eu segui em frente com esse. Mas vou dizer: foi frustrante perceber que isso não acontecia. Me desiludi totalmente. Primeiro, tenho problemas com livros de ficção com fundo religioso não que eu não seja religiosa, eu sou, mas porque eu sempre fico com a impressão de que o autor está misturando religião numa narrativa ficcional para querer me induzir nas entrelinhas, de forma subentendida, a mudar minhas crenças e eu não vejo com bons olhos quem tenta fazer isso, forçar os outros a mudar. Eu acredito e prezo muito a liberdade de escolha para gostar disso - não estou dizendo que seja o caso da autora, até porque é um livro histórico mas só que sempre fico e fiquei com essa sensação. Esse é um tema muito complicado, o autor tem que ter cuidado para não exagerar na mão senão passa essa impressão mesmo. Segundo, não me agradou o fato da Bethia narrar, eu preferiria que fosse o Caleb. Não quero dar spoiler mas o livro não era sobre ele? Ele não seria o protagonista? Só que para mim não pareceu, fiquei com a impressão de que ele era coadjuvante no próprio livro. Sério, ele apareceu muito pouco pra um protagonista, entrava mudo e saia calado, tinha poucos diálogos e a interação dele com a Bethia (que é a narradora, pelos Céus!) foi pouquíssima. "Ah, mas a trama gira em torno dele." Pode até ser. Mas isso não muda o fato dele parecer um figurante de filme ou um daqueles coadjuvantes de romances que aparecem pouquinho e fazem uma "pequena participação especial". A Bethia é quem domina, é tudo sobre a vida DELA, as dificuldades DELA, a relação DELA com a família DELA, o fato DELA ser incompreendida em seu desejo de estudar etc etc. É claro que é muito bacana a autora ter aproveitado para abordar também não só as dificuldades e portas fechadas que o Caleb sofria mas também o tema do sexismo exacerbado e revoltante da época e mostrar como as mulheres sofriam e eram suprimidas e tachadas de inferiores naqueles tempos, isso faz a gente pensar e como mulher agradecer todas as mudanças grandiosas que aconteceram desde então. Porém isso não apaga o fato de que para mim o livro como um todo não foi o que eu esperava, e não no bom sentido, e mesmo esses pequenos pontos positivos não foram suficientes para não tornar a leitura enfadonha para mim. O que é uma grande pena. Mas nem sempre nossas leituras são boas e eu tinha que expressar o que achei da melhor forma que eu consegui.

Espero que quem queira ler o livro sinceramente não se iniba com essa minha resenha e se tiver vontade de ler, que leia, porque como eu friso sempre aqui: isso é só minha opinião e o livro que alguns não gostam, outros adoram. Só são gostos diferentes e isso vai de cada um e tem que ser respeitado. É isso. :)

Continue lendo...

A Filha do Louco - Megan Shepherd




Sinopse:

Juliet Moreau construiu sua vida em Londres trabalhando como arrumadeira - e tentando se esquecer do escândalo que arruinou sua reputação e a de sua mãe, afinal ninguém conseguira provar que seu pai, o Dr. Moreau, fora realmente o autor daquelas sinistras experiências envolvendo seres humanos e animais. De qualquer forma, seu pai e sua mãe estavam mortos agora, portanto, os boatos e as intrigas da sociedade londrina não poderiam mais afetá-la... Mas, então, ela descobre que o Dr. Moreau continua vivo, exilado em uma remota ilha tropical e, provavelmente, fazendo suas trágicas experiências. Acompanhada por Montgomery, o belo e jovem assistente do cirurgião, e Edward, um enigmático náufrago, Juliet viaja até a ilha para descobrir até onde são verdadeiras as acusações que apontam para sua família.


Minha Opinião:

A Filha do Louco é o primeiro livro da trilogia A Filha do Louco (The Madman’s Daughter, no original) da autora Megan Shepherd e é inspirado no livro de ficção científica A ilha do Dr. Moreau, um clássico da literatura escrito por H.G. Wells. Os direitos autorais da série já foram comprados por um estúdio de cinema americano e os planos são de que futuramente vire filme, segundo notícias, inclusive o roteiro do primeiro filme baseado nesse primeiro livro já está pronto. Então, acredito que se tudo correr bem outras novidades sobre essa adaptação será somente questão de tempo.

Quando Juliet tinha dez anos sua vida como conhecia foi completamente devastada; seu pai, um renomado médico, foi acusado de fazer terríveis experiências envolvendo animais e o escândalo destruiu sua carreira e o fez fugir sorrateiramente para não arcar com as consequências, deixando sua mulher e filha na rua da amargura passando necessidades e sendo rejeitadas pela sociedade que não queria ter nada a ver com elas. Um tempo depois, Juliet também perde a mãe só que para uma doença e se vê sem ninguém, perdida no mundo, e tem que aprender a trabalhar desde cedo para se sustentar. Até que um dia, anos depois, ela descobre, por um acaso, que um rapaz que era amigo dela e trabalhava na casa de seu pai na sua infância e de quem ela também nunca mais teve notícias está na cidade e por intermédio dele descobre que seu pai está vivo e morando numa ilha desconhecida no meio do oceano e Juliet, depois de se envolver em um problema que acaba a forçando a sair da cidade, resolve ir de qualquer jeito para a ilha tanto para sumir quanto para procurar saber porque seu pai abandonou à ela e a sua mãe, e embarca em uma viagem que vai acabar resultando em revelações sinistras, verdades espantosas e reviravoltas chocantes que mudarão sua vida e tudo que ela acreditava irremediavelmente e para sempre.

Eu tenho que confessar uma coisa: eu já meio que esperava uma certa atmosfera sombria nesse livro mas não esperava que era tanto. Wow! A autora soube misturar lindamente a ficção científica presente no livro de H.G. Wells usando o personagem do Dr. Moreau e suas criações escabrosas num romance histórico com uma ambientação excelente e com triângulo amoroso e dessa miscelânea sai uma trama cheia de suspense, ação, paixão e loucura - e eu diria até um pouquinho de terror por conta dos experimentos insanos do doutor porque tem que ter um estômago forte para aguentar alguns trechos. O livro é tão bem escrito que desperta vários tipos de emoções distintas: raiva, medo, tensão, nojo, adrenalina e de repente você se acha numa página querendo que o doutor seja detido e Juliet, Montgomery e Edward sobrevivam e na outra torcendo para que a Juliet se decida logo entre os dois pretendentes (Montgomery, lindo! *-*), é uma verdadeira montanha russa de sentimentos e quando eu podia eu não conseguia parar de ler principalmente no final. Genial, genial! A espera até que o próximo da trilogia seja lançado aqui vai parecer longa.

Continue lendo...

Fênix: A Ilha - John Dixon




Sinopse:

Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?


Minha Opinião:

Fênix: A Ilha é o primeiro livro da série Fênix criada por John Dixon e também o primeiro livro escrito por ele. O livro também deu origem à série de TV Intelligence que foi ao ar esse ano nos EUA e só teve uma temporada e que depois foi cancelada pela emissora americana. *Spoiler* A série de TV não tem quase nada em comum com o livro só a questão do chip que dá super habilidades ao que o tem implantado no seu cérebro mas as habilidades são diferentes, pelo menos em comparação às desse primeiro livro. *Fim do Spoiler*

Esse livro conta como Carl Freeman, um jovem de 16 anos que tinha todo o potencial para ser um grande boxeador, depois de uma vida entrando e saindo de institutos correcionais e lares adotivos resultado de sempre se meter em brigas e confusões, é sentenciado a se submeter a uma espécie de treinamento militar na ilha Fênix e ficar lá até completar 18 anos obedecendo as ordens de todo o corpo militar da ilha. Uma ilha que fica no meio do nada, em que Carl e os outros órfãos não têm nenhum tipo de contato com a civilização fora de lá, de onde não tem como fugir e onde eles têm que se submeter a todos os mandos e desmandos dos soldados, convivência com outros órfãos agressivos e outros perigos naturais da ilha, mesmo para um cara durão e corajoso como Carl, sobreviver e sair de preferência com a sanidade intacta (ou quase) vai se provar um trabalho muito mais árduo do que ele e seus únicos dois amigos poderiam sequer imaginar. E o leitor muito menos.

Fênix: A Ilha é cheio de ação, suspense, ficção científica, aventura e adrenalina do começo ao fim. É impossível ler e não torcer pelo Carl, não se indignar com as atrocidades que ele e os outros jovens passam, não ficar furiosa com as arbitrariedades dos comandos dos responsáveis pela ilha e pelo programa de treinamento e não ter vontade de entrar na história e ajudar o Carl e os seus amigos a fugirem desse inferno. Sou uma pessoa totalmente pacífica mas a minha revolta foi tão grande, e este livro me convenceu e me afetou de tal maneira, que eu tive vontade de entrar lá no meio da trama e no mínimo dar uns socos na cara de determinados personagens, principalmente o desgraçado do Parker, só para vocês verem o nível da minha indignação rs. O livro tem uns vilões completamente detestáveis contrabalançando com a nobreza do Carl e ação, ação, ação do início ao fim e algumas reviravoltas. Tudo muito bem distribuído durante a narrativa, uma amostra do grande talento do autor. O final tem um cliffhanger muito bom para o próximo mesmo dando uma pequena sensação de desapontamento com o Carl mas depois de racionalizar você percebe que não poderia ser diferente. Agora vou ficar ansiosa pelo segundo volume da série. ;)

Continue lendo...

Boletim Harlequin #34: Lançamentos de Outubro


Outubro chegou e com ele os lançamentos divos do mês da Harlequin Brasil! =D

Confira alguns deles que estão especialmente sensacionais:


Ronda Noturna - Série Noturna 01/06 - Nora Roberts

Sinopse:

Quente, rouca e macia como um bom uísque. Assim era a voz da locutora Cylla ORoarke. Ameaçada por um fã misterioso, ela recorre à proteção do detetive Boyd Fletcher. Mas logo descobre que Boyd não apenas a protegerá de um psicopata, como também tem planos para torná-la sua mulher. Afinal, mas do que seu timbre, ele adora a forma como Cylla esconde sua vulnerabilidade por trás de uma fachada de autossuficiência. E ainda que ela se sentisse invadida pelas investidas de Boyd, uma inegável atração cresce entre os dois, aumentando cada vez mais o risco de algo acontecer durante a Ronda Noturna.



Instinto Natural e Entre o Amor e o Dever - Em Nome do Amor - (Harlequin Special 93) - Cara Colter

Sinopses:

INSTINTO NATURAL

Quando aceitou ajudar Trixie Marsh, sua vizinha, a cuidar de duas meninas, o solteirão Daniel Riverton não sabia que despertaria seu instinto paternal… e as fantasias de Trixie.

ENTRE O AMOR E O DEVER

A princesa Shoshauna sonhava em ser livre e encontrou a felicidade nos braços do Jake Ronan. Mas ela era a futura rainha e tinha deveres. Será que o amor falará mais alto?



Quero que Você me Vingue - Segredos da Quinta Avenida 01/03 - Maisey Yates

Sinopse:

Austin Treffen nasceu em berço de ouro, mas por trás das grades douradas repousa a sombra da corrupção. Um escândalo sem precedentes estava prestes a eclodir sobre a elite de Nova York. E Jason Treffen, pai de Austin e filantropo de maior destaque, ocupava o epicentro. Com as crenças destruídas, nada mais resta a Austin senão aniquilar Jason. Mas como poderia consumar sua vingança sem ameaçar a reputação da família? Acima de tudo, Austin precisava de provas. Entretanto, onde encontrá-las? Uma noite com Katy Michaels não só abre as portas para uma paixão devastadora, como também é a chave para colocar um ponto final ao reinado de Jason. Em uma combinação de prazeres inconfessáveis e sublime dor, Austin e Katy conseguirão saciar a sede de vingança e de desejo, ou se tornarão servos da escuridão?



Caminhos da Sedução - (Coleção Primeiros Sucessos 53) - Diana Palmer

Sinopse:

Anna Cochran sempre foi completamente apaixonada por Evan Tremayne. Mas o cowboy cabeça-dura só pensava em protegê-la dos outros homens da cidade. Anna passou anos esperando que ele tomasse uma iniciativa, porém Evan lutava contra seus verdadeiros sentimentos por ela. Dependia de Anna conquistá-lo. E ela logo faria Evan perceber que não era tão inocente quando ele pensava.



Um Lugar para a Esperança - The Devaneys 03/05 - (Rainhas do Romance 94) - Sherryl Woods

Sinopse:

Após um incidente durante uma missão, o fuzileiro naval Michael Devaney ficou preso a uma cadeira de rodas. Ao saber que havia a possibilidade de não poder mais andar e ter que se afastar da marinha, o corpo e a alma de Michael se partiram. Mesmo gravemente ferido, ele continuava sendo o herói de Kelly. E agora, ela seria responsável pela sua fisioterapia. Michael parecia decidido a afrontar o mundo, incluindo seus irmãos e Kelly. Entretanto, quando passa a olhar para ela de modo diferente, sente-se incapaz de satisfazê-la. Como Kelly poderia convencê-lo de que ele sempre seria um homem completo para ela, apesar de tudo?



Pecadora - Branscom Sisters 02/02 - (Flor da Pele 16) - Vicki Lewis Thompson

Sinopse:

As atitudes irreverentes de Keely Branscom renderam a ela a fama de rebelde. Com apenas 19 anos, chocou parentes e vizinhos ao aparecer nas páginas centrais de uma revista masculina. A verdadeira intenção era ter atraído o olhar de Noah Garfield Embora naquela época ele ainda não soubesse o que deveria fazer com Keely. Anos depois, o acaso reúne Noah e Keely de modo inusitado. Durante uma viagem a Las Vegas, ele a vê entrando em um bar de striptease, e conclui precipitadamente que é seu dever salvá-la dos vícios da Cidade do Pecado. Keely não estava em busca de redenção, mas nada a faria desperdiçar a chance de receber de Noah o tipo de ajuda que ela sempre quis dele.





Dama em Fuga - (Harlequin Históricos 149) - Meriel Fuller

Sinopse:

Lady Katerina de Dauntsey havia fugido. Disfarçada de dançarina de uma trupe itinerante, esconde segredos atrás de uma máscara. Entretanto, quando seu ato hipnotizante atrai a atenção da rainha Isabella, o passado de Katerina volta a assombrá-la. O nobre Lussac de Belbigny está abismado com a coragem da bela acrobata de cabelos ruivos. Consumido pelo desejo de vingança, o cavaleiro não vai deixar ninguém cruzar o seu caminho. Mas há algo na misteriosa Katerina que faz o seu coração partido bater mais forte.

Continue lendo...